Um “mix” de Natal


Segue um pouco daquilo que li e ouvi nesses dias e que me edificou bastante. Certeza que também te fará muito bem!

Na capa acima a linda arte feita em quadro negro e giz de escola pelo brother Alexandre Gonzaga durante o Adventus. São muitos detalhes a serem observados e admirados…
Parte do que Mayron Pereira compartilhou
Não deixemos que as dificuldades da vida diária nos desmotive em relação ao Natal! Facilmente, pela quantidade de dificuldades e catástrofes que enfrentamos em 2015, escolheríamos não ver motivos para Celebrar! Mas existe sim!!! O Natal foi instaurado justamente no pior desastre que a humanidade já viveu: a separação de Deus! Foi nesse exato momento que o Redentor foi prometido! Natal é para ser Relembrado com o Sentimento de Esperança – que quem entende que é possível caminhar firme diante das mais severas ameaças porque há uma Redenção conquistada pelo menino Jesus, o filho de Deus!
Parte da newsletter da Editora Ultimato
Ao lermos e meditarmos atentamente nos versos que contam a história do nascimento de Jesus, talvez uma forte sensação de espanto tomará conta de nós. Uma virgem que engravida, um noivo que aceita esta condição e permanece fiel, anjos que anunciam o mistério a conhecidos e desconhecidos, os primeiros visitantes são pastores e não familiares, o homem mais poderoso sentindo-se ameaçado por um bebê.

Que espanto saber que este garoto é o Cristo concedido por Deus para ser nosso! É o Verbo que não tem início nem fim!

Que incrível saber que o Menino cresceria, cumpriria sua missão e morreria para nos reconciliar com Deus! Que assombro saber que este bebê nasceu por mim e por você! E que posso crer, pois Deus nos chama a isto!
Nesta época tão especial, que o espanto – o bom e santo espanto – seja a tônica em nossos corações. Que o espanto nos prepare para a celebração e adoração do “Verbo feito carne”, do Deus-homem que veio salvar o mundo.
Parte do sermão de Natal, ministrado pelo Marcos Rocha na Sal da Terra 90.
Deus deliberadamente e soberanamente decide entrar na humanidade no mais profundo do ser humano. O Salvador é concebido não pela vontade humana, não pelo acerto humano, não pela motivação humana, mas sim pelo amor. O amor do Pai celestial ao homem, a você e a mim, a nossa família. O Deus Emanuel, o Deus conosco é gerado por uma semente santa, um DNA perfeito dentro de uma estrutura humana. E esse é o mistério! E o mistério é que Ele é 100% Deus e 100% humano.
  • Em Cristo o amor do Pai ganha pernas. Ganha pernas para nos encontrar na distância da nossa solidão, pernas que correm ao nosso encontro.
  • Em Cristo o amor do Pai ganha braços. Braços para nos amparar em cada tropeção, braços que nos acolhem em nossos momentos de confusão. Braços que nos levantam a lugares mais altos do que nunca imaginamos alcançar.
  • Em Cristo o amor do Pai ganha olhos, olhos que enxergam cada detalhe de quem somos, olhar sereno e terno, que nos acalma no meio da tempestade.
  • Em Cristo o amor do Pai ganha ouvidos para discernir o suspirar da nossa alma, ouvidos pacientes para ser o nosso maior confidente.
  • Em Cristo o amor do Pai ganha mãos, para nos conduzir bem de perto no caminho que nós devemos andar. Mão de graça para nos resgatar das enrascadas que nos metemos na vida.
  • Em Cristo o amor do Pai ganha voz, para nos aconselhar em toda verdade. Voz que nos adverte do mal e nos incentiva ao bem.
  • Em Cristo o amor do Pai habita em nosso meio e nos revela toda a sua glória. Cristo em nós é a esperança de toda glória!
Partes escritas pelo Igor Miguel
… Definitivamente nenhum ser humano poderia “inventar” a narrativa e o evento natalino, ele vai de encontro a nossa obstinação polarizada entre o misticismo ou o materialismo. A encarnação consegue conciliar transcendência e imanência, céu e terra na pessoa de Jesus Cristo, em um único evento.
Enfim, o natal significa que cristãos insistem em lembrar, ou deveriam fazê-lo, ano após ano, durante milênios que “o Verbo se fez carne e habitou entre nós”. Anunciamos e lembramos que Deus se intrometeu em nosso mundo, história e realidade, para inaugurar um novo mundo, uma nova história e uma nova realidade em Jesus. Por isso, o natal não é uma festa pagã de maneira alguma. É uma festa radical, típica e fundamentalmente cristã.
Celebremos com a santa mulher, Maria, mãe de Jesus, que cantou após o menino saltar em seu ventre: “A minha alma engradece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador!”.
… Finalmente, você tem todo direito de não celebrar o natal, obviamente, a data não é uma ordenança bíblica. Mas você considerar ou acusar de pagão ou neopagão cristãos reunidos em família para celebrar e agradecer a Deus pelo que João disse: “O Verbo se fez carne e habitou entre nós.” Isto sim é pagão, muito pagão, é a mais pura perda de discernimento histórico e da noção de que Deus deu riquezas às nações, e que o cristianismo teve o poder de redimir seu sentido para Cristo.

“Esta noite, em Belém, a cidade de David, nasceu o Salvador – sim, o Cristo, o Senhor. É assim que o reconhecerão: encontrarão a criancinha envolvida em panos e deitada numa manjedoura. E eis que, de repente, se juntou outro grande grupo de anjos, louvando Deus: Glória ao Senhor, no mais alto dos céus, paz na Terra aos homens a quem Deus quer bem.” São Lucas

Um Natal diferente e prática da nossa missão. Lindo o engajamento de jovens de vários movimentos, como o Movimento Mosaico, tornando a ceia de Natal de moradores de rua de Goiânia mais humano e cheio do amor de Cristo na prática. Clica no link e saca só: http://g1.globo.com/goias/videos/t/…
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s