O ego frágil dos homens


Foi um colega de trabalho quem disse a frase inesquecível: você percebe que foi humilhado, que seu chefe passou dos limites, quando não consegue contar para sua mulher a bronca que levou no escritório.

Esse comportamento – que me parece rigorosamente verdadeiro, além de universal – revela muito sobre a psicologia masculina e sobre suas desvantagens em relação ao jeito como as mulheres lidam com o mundo e com elas mesmas. Homens não dizem a verdade. Eles contam vantagem, enquanto as mulheres contam tudo.

Pensem numa roda de mulheres discutindo o cotidiano do trabalho. Parece um muro de lamentações. Elas descrevem em detalhes as humilhações a que são submetidas, falam dos sapos terríveis que engoliram, descrevem sem pudores a própria covardia ao lidar com a agressividade do chefe ou da chefe.

noivaforteNa mesma situação, os homens mentem e omitem. A grosseria do chefe que ficou sem resposta se transforma numa discussão épica. A bronca degradante vira um pedido de demissão em voz alta. A covardia, o recuo, o rabo entre as pernas, são contados com cores irreconhecíveis – ou silenciados, como se não houvesse acontecido.

Isso torna difícil entender a vida dos homens quando contada por eles mesmos. São tantos os filtros, tantas as distorções, que a realidade fica de fora. Isso vale para sexo e romance também. Quando o sujeito é demitido ou tem um enfarte ou é abandonado pela mulher, ninguém entende o que aconteceu. Ele não era amado, respeitado e desejado?

Como disse Fernando Pessoa no Poema em linha reta, os homens são todos príncipes.

Agem assim porque, ao contrário das mulheres, são incapazes de lidar com a realidade de suas próprias fraquezas. Não admitem para eles mesmos suas falhas de caráter. Movem-se por um código de honra inatingível, cruel, pueril, que determina suas vidas desde a infância – e continua a valer, como se fossem meninos, ao longo da vida adulta, embora ela demande outro conjunto de valores e emoções.

A escritora nigeriana Chimamanda Adichie descreve essa questão de forma luminosa. Ela diz que o ego dos homens é frágil, e isso obriga as mulheres a diminuir-se o tempo inteiro, para não feri-los ou humilhá-los. Que casal não se reconhece nessa frase?

Sendo homem, submetido 24 horas por dia às regras draconianas da masculinidade – que repudia o medo, não tolera a fraqueza, despreza a hesitação –, frequentemente tenho inveja das minhas gatas.

Carlota e Elisabeth vivem num mundo mais simples. São como são. Cada uma tem seu temperamento, e não há glória ou vergonha nisso. Carlota é agressiva e mandona. Elisabeth é doce e arisca. Outro dia, quando um cachorro passou pela porta do apartamento, Carlota se atirou sobre ele primeiro, Elisabeth veio logo atrás. Acharam que era uma questão de sobrevivência.

Às vezes me parece que as mulheres parecem as gatas. Elas se aceitam como são, vivem na realidade, não se batem contra moinhos. Seus conflitos são com o mundo, não com elas mesmas. Estão mais preparadas para ser felizes, acho. Vejo grandeza na fraqueza feminina – e muita fraqueza na aparente fortaleza dos homens.

Li esse artigo no Pavablog e quem escreveu foi o Ivan Martins, na Época.

A FIFA não é dona do futebol!


A maioria das pessoas se esquece que a democracia brasileira tem apenas 25 anos, e dentro de sua história essa é a primeira vez, desde o impeachment do Collor, que o povo brasileiro questiona que tipo de país quer habitar. E dessa forma, nos tornamos conhecedores de nossos direitos, definidos na Constituição de 1988.

E é o povo brasileiro, não a FIFA(Copa), tampouco o próprio futebol, que deixa um legado inédito para o mundo, visto que somos a primeira nação que realmente decidiu questionar qual o benefício de sediar uma FIFA(Copa) – por isso a pergunta “Copa pra quem?”.

header

A resposta para essa pergunta está no relatório oficial de prestação de contas do mega evento pelo governo brasileiro, Matriz de Responsabilidade http://bit.ly/TNeBzW, veja os números você mesmo!

Todos os brasileiros acreditaram que a FIFA (Copa) deixaria benefícios infraestrurais que tanto necessitam os trabalhadores que acordam as 5 da manhã para pegar o ônibus e ir para a labuta; os que necessitam do sistema público da coleta de lixo; os que dependem da polícia para sua segurança; os que não têm saneamento básico; e ainda, os usuários do sistema público de saúde.

Pois bem. Em 2007, em uma cerimônia de celebração do Brasil sede da FIFA(Copa), com a presença do presidente do Brasil, Lula, o então presidente da CBF Ricardo Teixeira afirmou: “A Copa é um evento privado. Portanto, o maior benefício de sediar uma FIFA(Copa) é o fato de este ser o evento que menos usa dinheiro público”. Entretanto, mais de 85% dos fundos vieram, até agora, de cofres públicos, e quase metade desse dinheiro foi investido no Rio, SP e BH.

Agora, para aqueles que acham que o Brasil, e por Brasil eu me refiro ao povo brasileiro, irá se beneficiar com a FIFA (Copa) está na hora de rever os seus conceitos do que desenvolvimento social significa, principalmente em um país onde os indicadores sociais assustam de tão baixos.

A FIFA (Copa) não é dona do esporte futebol, nunca foi, e nunca será! Ademais, não serão os últimos a tirar vantagem de uma paixão do ser humano para benefício próprio. Portanto, protestar durante a copa não quer dizer que deixamos de ser loucos por futebol. Quer dizer, apenas, que não queremos nosso suor nas mãos de uma máfia corrupta que decidiu se apropriar de uma de nossas maiores paixões para seu benefício.

10411804_10152218613063049_8445902816848597420_n

 

Giselle Barboza é Antropóloga e produtora de mídia em Londres.
Atualmente, lidera a mídia da campanha www.itsapenalty.com.

Não basta ser gestor, tem de participar


lideranca-compartilhada-veraResultados, reuniões, indicadores, orçamento são palavras muito comuns nos corredores do mundo corporativo. Nesta dinâmica, muitos gestores se veem pressionados pelo negócio e caem na armadilha da falta de tempo, na busca incansável de suas metas e se esquecem de suas equipes, que participam deste corre-corre, muitas vezes não compreendendo os objetivos corporativos e como podem contribuir.

Mas será que a equipe conhece estas metas? Sabe o que é esperado do time? Recebe um retorno sobre seu trabalho? “Não tenho tempo e tempo é dinheiro”, muitos gestores pensam. Outros acreditam que os funcionários que não estão informados e não entendem o ritmo corporativo, possuem falta de comprometimento e baixa performance.

Esta pode ser uma variável importante, mas antes o gestor deve se perguntar: Será que estou fazendo meu papel? Não basta ser gestor, tem de participar.

Para um processo de gestão efetivo, o gestor deve avaliar se está exercendo o kit básico da liderança de pessoas: conhecer sua equipe, estabelecer metas claras, definir métricas e formas de acompanhamento, saber ouvir e dar / receber feedback. São 5 atitudes que fazem a diferença para uma equipe comprometida e com ótimos resultados.

O gestor que conhece sua equipe extrai as potencialidades de cada integrante de forma a agregar para as atividades e projetos realizados, desenvolvendo um plano de ação efetivo e consistente para melhoria de competências essenciais para o negócio e seus objetivos de carreira.

Um gestor que conhece sua equipe pode desenvolver metas desafiadoras em parceria com seu time criando comprometimento, alinhamento e clareza. Todos conhecem suas metas organizacionais e caminham para o mesmo lugar e podem como equipe se apoiar. Muitos gestores não comunicam as metas para sua equipe, acreditando que estes possuem informação e clareza onde ao invés, estão perdidos e muitas vezes com foco em atividades não produtivas. Se eu conheço o que preciso alcançar, o caminho terá mais foco.

Metas claras precisam de indicadores alinhados, pois assim o gestor co-participa e co-responsabiliza sua equipe, desenvolvendo um planejamento eficaz, com atividades e prazos desafiadores e tangíveis. Com sua equipe no caminho certo, o gestor pode dar foco em ações estratégicas e acompanhar a performance de sua equipe.

Através de um bom acompanhamento, o gestor atua com feedbacks pontuais e claros ao colaborador ao invés de aguardar apenas duas vezes ao ano, a avaliação de desempenho para pontuar melhorias e ajustes, surpreendendo o colaborador que entendia que sua performance estava bem. O feedback é uma poderosa ferramenta no processo de gestão. É um retorno de como a performance, metas e comportamentos estão; um alinhamento entre duas partes – gestor e liderado, uma ajuste e revisão de planos onde o gestor alimenta o colaborador com pontos que caminham bem e ajustes e o próprio gestor se retroalimenta, recebendo observações em sua liderança e reforça pontos importantes do seu exemplo para a equipe.

Para que este processo de gestão possa fluir, a atitude de saber ouvir é essencial, pois cria uma via de mão dupla como um oxigênio, uma vez que constrói confiança, respeito, sinergia e parceria.

O kit básico da gestão de pessoas apresenta atitudes importantes para que o gestor crie sua identidade fortalecida e com proximidade de sua equipe, assim como um pai e seus filhos, que oferece de forma consciente e pertinente o que o colaborador precisa para se desenvolver, crescer na empresa e não apenas o que cada colaborador gostaria individualmente. É uma relação de ganha-ganha onde ambos crescem, se apoiam e geram valor para sua carreiras e resultados na organização.
Portanto, não basta ser gestor, tem de participar.

Por: Aline Gomes- Executive coach
Via: Blog Hunter
Imagem Fonte: Reprodução

Sucesso e ARREBENTA!

@fottoni

15 coisas que você precisa abandonar para ser feliz


WE-HEART-IT_1

1. Desista da sua necessidade de estar sempre certo

Há tantos de nós que não podem suportar a ideia de estarem errados – querem ter sempre razão – mesmo correndo o risco de acabar com grandes relacionamentos ou causar estresse e dor, para nós e para os outros. E não vale a pena, mesmo. Sempre que você sentir essa necessidade “urgente” de começar uma briga sobre quem está certo e quem está errado, pergunte a si mesmo: “Eu prefiro estar certo ou ser gentil?” (Wayne Dyer) Que diferença fará? Seu ego é mesmo tão grande assim?

2. Desista da sua necessidade de controle

Estar disposto a abandonar a sua necessidade de estar sempre no controle de tudo o que acontece a você e ao seu redor – situações, eventos, pessoas, etc. Sendo eles entes queridos, colegas de trabalho ou apenas estranhos que você conheceu na rua – deixe que eles sejam. Deixe que tudo e todos sejam exatamente o que são e você verá como isso irá o fazer se sentir melhor.

“Ao abrir mão, tudo é feito. O mundo é ganho por quem se desapega, mas é necessário você tentar e tentar. O mundo está além da vitória.” Lao Tzu

3. Pare de culpar os outros

Desista desse desejo de culpar as outras pessoas pelo que você tem ou não, pelo que você sente ou deixa de sentir. Pare de abrir mão do seu poder e comece a se responsabilizar pela sua vida.

4. Abandone as conversinhas auto-destrutivas

Quantas pessoas estão se machucando por causa da sua mentalidade negativa, poluída e repetidamente derrotista? Não acredite em tudo o que a sua mente está te dizendo – especialmente, se é algo pessimista. Você é melhor do que isso.

“A mente é um instrumento soberbo, se usado corretamente. Usado de forma errada, contudo, torna-se muito destrutiva.” Eckhart Tolle

5. Deixe de lado as crenças limitadoras sobre quem você pode ou não ser, sobre o que é possível e o que é impossível. De agora em diante, não está mais permitido deixar que as suas crenças restritivas te deixem empacado no lugar errado. Abra as asas e voe!

“Uma crença não é uma ideia realizada pela mente, é uma ideia que segura a mente.” Elly Roselle

6. Pare de reclamar

Desista da sua necessidade constante de reclamar daquelas várias, várias, váaaarias coisas – pessoas, momentos, situações que te deixam infeliz ou depressivo. Ninguém pode te deixar infeliz, nenhuma situação pode te deixar triste ou na pior, a não ser que você permita. Não é a situação que libera esses sentimentos em você, mas como você escolhe encará-la. Nunca subestime o poder do pensamento positivo.

7. Esqueça o luxo de criticar

Desista do hábito de criticar coisas, eventos ou pessoas que são diferentes de você. Nós somos todos diferentes e, ainda assim, somos todos iguais. Todos nós queremos ser felizes, queremos amar e ser amados e ser sempre entendidos. Nós todos queremos algo e algo é desejado por todos nós.

8. Desista da sua necessidade de impressionar os outros

Pare de tentar tanto ser algo que você não é só para que os outros gostem de você. Não funciona dessa maneira. No momento em que você pára de tentar com tanto afinco ser algo que você não é, no instante em que você tira todas as máscaras e aceita quem realmente é, vai descobrir que as pessoas serão atraídas por você – sem esforço algum.

9. Abra mão da sua resistência à mudança

Mudar é bom. Mudar é o que vai te ajudar a ir de A a B. Mudar vai melhorar a sua vida e também as vidas de quem vive ao seu redor. Siga a sua felicidade, abrace a mudança – não resista a ela.

“Siga a sua felicidade e o mundo abrirá portas para você onde antes só havia paredes” Joseph Campbell

10. Esqueça os rótulos

Pare de rotular aquelas pessoas, coisas e situações que você não entende como se fossem esquisitas ou diferentes e tente abrir a sua mente, pouco a pouco. Mentes só funcionam quando abertas.

“A mais extrema forma da ignorância é quando você rejeita algo sobre o que você não sabe nada” Wayne Dyer

11. Abandone os seus medos

Medo é só uma ilusão, não existe – você que inventou. Está tudo em sua cabeça. Corrija o seu interior e, no exterior, as coisas vão se encaixar.

“A única coisa de que você deve ter medo é do próprio medo” Franklin D. Roosevelt

12. Desista de suas desculpas

Mande que arrumem as malas e diga que estão demitidas. Você não precisa mais delas. Muitas vezes nos limitamos por causa das muitas desculpas que usamos. Ao invés de crescer e trabalhar para melhorar a nós mesmos e nossas vidas, ficamos presos, mentindo para nós mesmos, usando todo tipo de desculpas – desculpas que, 99,9% das vezes, não são nem reais.

13. Deixe o passado no passado

Eu sei, eu sei. É difícil. Especialmente quando o passado parece bem melhor do que o presente e o futuro parece tão assustador, mas você tem que levar em consideração o fato de que o presente é tudo que você tem e tudo o que você vai ter. O passado que você está desejando – o passado com o qual você agora sonha – foi ignorado por você quando era presente. Pare de se iludir. Esteja presente em tudo que você faz e aproveite a vida. Afinal, a vida é uma viagem e não um destino. Enxergue o futuro com clareza, prepare-se, mas sempre esteja presente no agora.

14. Desapegue do apego

Este é um conceito que, para a maioria de nós é bem difícil de entender. E eu tenho que confessar que para mim também era – ainda é -, mas não é algo impossível. Você melhora a cada dia com tempo e prática. No momento em que você se desapegar de todas as coisas, (e isso não significa desistir do seu amor por elas – afinal, o amor e o apego não têm nada a ver um com o outro; o apego vem de um lugar de medo, enquanto o amor… bem, o verdadeiro amor é puro, gentil e altruísta, onde há amor não pode haver medo e, por causa disso, o apego e o amor não podem coexistir), você irá se acalmar e se virá a se tornar tolerante, amável e sereno… Você vai alcançar um estado que te permita compreender todas as coisas, sem sequer tentar. Um estado além das palavras.

15. Pare de viver a sua vida segundo as expectativas das outras pessoas

Pessoas demais estão vivendo uma vida que não é delas. Elas vivem suas vidas de acordo com o que outras pessoas pensam que é o melhor para elas, elas vivem as próprias vidas de acordo com o que os pais pensam que é o melhor para elas, ou o que seus amigos, inimigos, professores, o governo e até a mídia pensa que é o melhor para elas. Elas ignoram suas vozes interiores, suas intuições. Estão tão ocupadas agradando todo mundo, vivendo as suas expectativas, que perdem o controle das próprias vidas. Isso faz com que esqueçam o que as faz feliz, o que elas querem e o que precisam – e, um dia, esquecem também delas mesmas. Você tem a sua vida – essa vida agora – você deve vivê-la, dominá-la e, especialmente, não deixar que as opiniões dos outros te distraiam do seu caminho.

Fonte: Guia Ingresse

Sucesso e ARREBENTA!

@fottoni

5 formas de usar mídias sociais para vender mais


Costumo ler e gosto bastante das Revistas e Newsletters da Venda Mais e da Revista da Liderança (mesmo grupo). O Raúl Candeloro é um grande palestrante, consultor, autor, editor chefe, CEO, empreendedor e acima de tudo vendedor. Ele resolveu então, com certeza não teria como deixar de falar, escrever um artigo com dicas de Social Media para se vender mais. Como o cara é “o cara” das vendas, é claro que a gente presta atenção. E eu resolvi postar aqui no blog as dicas que ele deu. Na minha opinião estão na corrente do assunto e de forma simples, prática e direta ele deixou excelentes dicas para o pessoal. E aqui vão elas:

6a00d83451bad569e2012876a6f53a970c-800wi

1) Infográficos no Pinterest/Facebook/Linkedin: uma coisa simples que pode ser muito melhor trabalhada pelas empresas são infográficos. (Uma busca rápida por “Como fazer um infográfico” no Google vai lhe dar excelentes ideias).

Minha sugestão aqui é fazer um infográfico de “7 coisas que você precisa saber/perguntar antes de comprar… (seu produto ou serviço)”. Ou seja, 7 (ou 5, ou 10) perguntas que todo cliente deveria fazer ANTES de comprar.

Sugestões parecidas poderiam ser “X coisas que você deve tomar cuidado ao comprar…”, “X maiores erros ao comprar…” e coisas do estilo.

A ideia aqui é EDUCAR os compradores, e fazer isso de maneira visualmente atraente. Infográficos são ótimos para isso.

Você então cria uma lista de coisas que o comprador deveria fazer/saber, cria o infográfico e posta nas suas redes sociais (Pinterest é perfeito para isso, assim como Facebook. Pode ser aproveitado também no Linkedin).

Esse infográfico post deveria levar a uma página do seu site em que a pessoa pode:

a) fazer um teste rápido (respondendo se o seu fornecedor atual tem essas 7 coisas, por exemplo) ou
b) ler um artigo mais completo sobre o assunto, com mais dicas.

Essa página do site termina sempre com um chamado à ação: deixe seus dados para que nós entremos em contato, clique e compre, etc.

2) Twitter + hashtags: a hashtag (símbolo #) virou uma mania entre os twitteiros, que a usam às vezes de maneira errada e exagerada (esta paródia do Justin Timberlake e Jimmy Fallon tira um ‘sarro’ desse exagero: http://www.youtube.com/watch?v=57dzaMaouXA).

Mas quando usada corretamente, a hashtag pode ser bem eficiente. Uma ideia criativa aqui é criar uma campanha de vendas com a sua própria hashtag, mas com um toque social.

Você cria uma hashtag promocional e coloca um contador no seu site. Cada vez que alguém twitta ou retwitta uma mensagem com a sua # promocional, o contador avança +1. Quando o contador chega a 1000, dispara automaticamente a promoção (20% de desconto, por exemplo).

Um outro pró desta promoção é que, como a pessoa tem que usar a hashtag para receber o benefício, essa hashtag acaba servindo como código de controle – você sabe exatamente de onde esse cliente veio.

Note que a ideia toda é fazer com que as pessoas participando, principalmente as mais ativas e mais interessadas, queiram divulgar a promoção. Afinal de contas, ela só passa a valer quando chegar-se a um número mínimo.

A mesma lógica pode ser usada no Facebook (usando likes/compartilhamentos), Youtube (likes/compartilhamentos), etc.

3) A 3ª ideia é mais simples, mas como vejo que nunca é utilizada, vou falar sobre ela. É simplesmente uma questão de organização e foco.

Nas suas mensagens em mídias sociais, recomendo que você categorize os posts. Assim fica fácil as pessoas filtrarem melhor o que querem, sem irritá-las com material desnecessário (o que faz com que elas acabem parando de seguir você ou descadastrem seu e-mail).

A melhor forma de fazer isso é usando palavras-chave no começo da mensagem, de preferência no título. Funciona muito bem em mídias sociais.

Exemplos de categoria de post/informação que você pode usar:

– [Pré-venda]
– [Lançamento]
– [Novidades]
– [Assista/Vídeo]
– [Brinde]
– [Sorteio/Promoção]
– [Cupom de desconto]
– [Oferta especial]
– [Artigo]

Esse tipo de categorização faz com que, na média, sua taxa de abertura/leitura de mensagens melhore.

4) Ofertas especiais: Crie uma promoção no Facebook só para quem dá ‘likes’ na sua página.

A melhor maneira de fazer isso é criando o que se chama de ‘landing page’, uma página inicial customizada que as pessoas encontram quando visitam sua página no Facebook pela primeira vez. Ao dar o ‘like’, ela pode receber um cupom, um e-book, um brinde, etc.

5) Kit surpresa: A 5ª ideia é uma das que mais gosto e que uso com frequência. É o uso de pesquisas entre clientes usando mídias sociais como ferramenta de divulgação.

Exemplo que usei recentemente com sucesso foi a pesquisa que fiz sobre os maiores erros cometidos pelos vendedores (na opinião dos próprios vendedores). O resultado da pesquisa virou um artigo, um vídeo e vários posts no FB/twitter. Também usei os resultados no e-mail marketing que vendia o curso on-line Alta Performance em Vendas. O resultado foi um sucesso: chegamos a 700 inscritos.

Você também pode fazer o mesmo: basta fazer uma pesquisa rápida com seus clientes sobre algum tema relacionado à sua área (maiores dificuldades é sempre um tema que repercute) e depois você posta resultados nas mídias sociais.

Isso posiciona você como expert , mas para realmente provocar vendas (ou pelo menos geração de leads/prospects qualificados) você precisa ir um passo além: oferecer algo para download que permita que você capture o nome/e-mail (e, se possível, telefone de contato) dos interessados. Isso entra num ‘funil de vendas’ onde se faz o follow-up com uma sequência de contatos (geralmente via e-mail).

Isso pode ser feito oferecendo para download/baixar um check-list em pdf, por exemplo, ou uma planilha, uma apresentação em slides, um vídeo, um e-book… enfim, qualquer coisa que ajude o cliente a saber mais (educando o cliente, mais uma vez) ou que ele/ela valorize.

Essas são 5 ideias rápidas e simples para vender mais usando mídias sociais po Raúl Candeloro da Venda Mais.

Sucesso e ARREBENTA!

@fottoni

Fonte imagem: Reprodução

Gentileza gera gentileza


insp_630Um sorriso, um toque, uma palavra de conforto ou até mesmo o menor gesto pode iluminar um dia escuro ou apagar um fardo pesado. A organização americana Life Vest Inside sem fins lucrativos criou um vídeo dedicado a espalhar bondade para ajudar as pessoas a encontrarem os seus potenciais e a autoestima.

Apesar de ser difícil perceber que ainda existam valores, como por exemplo, a ética na formação do caráter nos dias atuais, ainda assim há algumas razões para continuarmos acreditando num mundo melhor. O movimento busca mostrar que um pequeno gesto de generosidade pode transformar a vida de outras pessoas e isso retorna para você.

Entretanto trata-se, sobretudo do desejo de contribuir com um mundo mais humano, pois para se tornar uma pessoa mais gentil, é preciso que cada um faça uma reflexão consigo mesmo sobre o exemplo que queremos passar adiante. Como diria o Mahatma Gandhi: “Seja a mudança que você quer ver no mundo“.

Gentileza gera gentileza!

Fonte

Sucesso e ARREBENTA!

@fottoni

Sabedoria para uma liderança eficaz


2013.10.02-Coisas-que-todo-líder-deve-saber-imagem01-Empower-Network

Você é um líder ou almeja uma posição de liderança? Liderar pessoas não é a função mais fácil do mundo, mas às vezes fazemos parecer mais complicado do que realmente é. Uma parte bem grande do sucesso de um líder se deve a questões básicas e de senso comum, mas que podem passar despercebidas e acabar sendo ignoradas. Vamos atentar para algumas coisas que todo líder deve saber?

Não existe atalho para ser líder. Se você acha que conhecer aquele amigo do seu tio que pode te colocar em um cargo de chefia na empresa dele vai te transformar em líder, é melhor rever seus conceitos. Liderar exige treinamento, preparo e capacidade para lidar com pessoas, além de conhecer cada etapa dos processos envolvidos. Se você vai liderar um time de vendedores, por exemplo, ter experiência própria em vendas, saber como é estar no lugar deles, vai te ajudar a ir muito mais longe.

Para liderar, é preciso seguir. Se você quer que as pessoas lhe sigam, deve ter sido, você mesmo, um seguidor. A experiência como liderado fará você conhecer bem as necessidades e anseios de quem está liderando, ajudando a lidar melhor com essas pessoas nas mais diversas situações. Aprimore o que sabe que funciona e conserte aquilo que não dá tão certo. Antes de liderar, você deve aprender a seguir.

Fórmula mágica? Esqueça. Não existe segredo para ser um bom líder. A liderança é uma competência desenvolvida com o tempo e a vontade de ajudar pessoas a darem o seu melhor através do incentivo, feedback e exemplo.

Você já sabe liderar. Mas hein? Como assim? Lembra de quando falamos ali em cima sobre a importância de seguir antes de liderar? Desde criança você tem sido liderado, seja por questões hierárquicas, como professor e aluno, ou por escolha sua, como idolatrar aquele super herói que sempre salva o dia. Ao longo de sua vida você aprendeu, observando os outros, quem é um bom líder e como faz para sê-lo. Tenha isso em mente.

Ser líder não é ser chefe e ser chefe não é ser líder. Isso você provavelmente já cansou de ver por aí. Mas ainda que um não seja o outro, ambos os trabalhos devem se integrar. Pouco adianta saber inspirar as pessoas se você não canalizar essa habilidade para que elas sejam produtivas, cumpram metas e superem expectativas. Da mesma forma, não é nada eficaz cobrar trabalhos e prazos se você não souber dar exemplo e reconhecer as realizações de seus liderados. Encontre o equilíbrio entre gestão e liderança.

Liderar não te torna especial. Se você acha que ser líder faz de você uma pessoa melhor que as outras, baixe a bola. Todos têm o mesmo grau de importância em uma empresa ou projeto. Qual é a vantagem de ser líder se não houver quem siga? Um bom líder não deixa de lado a humildade e sabe que ninguém é melhor que ninguém.

Liderança não deve ser um trabalho. Um salário mais alto é tudo que você almeja ao buscar a liderança? Se a resposta for “sim”, você provavelmente não é um líder muito bom. A liderança é uma vocação e deve vir de dentro. Você pode aprimorá-la com técnicas, cursos e treinamentos, mas pessoas não podem ser compradas, apenas conquistadas. Não seja a pessoa que está atrás de uma conta bancária gorda. Seja a pessoa que inspira e faz a diferença – para melhor – na vida de quem te cerca. Ser líder é deixar de lado a individualidade e buscar o crescimento coletivo.

Via: Salada Cultural

Sucesso e ARREBENTA!

@fottoni

Professor de Filosofia fala sobre Valor e Amor [Vídeo]


Professor Clóvis de Barros fala sobre Valor e Amor no pensamento de Jesus Cristo.

Eu assisti uma entrevista do professor no Jô Soares e fiquei extasiado. Fiz questão então de postar esse vídeo também aqui no blog pois tem igual relevência. Mas se quiser assistir a tal entrevista no Jô é só clicar AQUI.

Sucesso e ARREBENTA!

@fottoni

CEO na @iBasicDigital

Professor vai a nado para a escola há 20 anos na Índia


Para chegar à escola local todos os dias, o professor pega uma boia, coloca as roupas em uma sacola e nada de uma margem à outra do rio, em uma verdadeira demonstração de dedicação ao ensino. Quando chega à outra margem, ainda tem de caminhar 10 minutos por uma colina. O professor trabalha na escola há duas décadas e afirma que usa o exemplo para ensinar aos alunos a importância do meio ambiente.


0513

0415

0315

0215

0114

0613

Via Catraca Livre

Sucesso e ARREBENTA!

@fottoni

CEO na @iBasicDigital