Palestra “ATITUDE como um diferencial profissional e pessoal”


Fui convidado pela diretoria do Laboratório CAPC em Goiânia-GO para fechar a 2ª SIPAT. Escolhi o tema ATITUDE e encontrei uma turma cheia dela! Foi sensacional! Parabéns a todos pelo engajamento e participação.

Anúncios

Palestra Motivacional


Palestras Motivacionais

“Uma palestra de motivação tem o poder de reforçar a auto-estima das equipas, de conscientizar as pessoas de uma organização da necessidade imperiosa para a busca de relacionamentos interpessoais sadios, para a integração das pessoas nas equipas, para a melhoria do clima organizacional, de empenhar todo o time para enfrentar novos desafios, de despertar em cada pessoa o melhor de si para o todo, de vislumbrar nas pessoas as possibilidades de realização e proporcionar uma imagem mental do êxito, de comprometer equipas com metas, de trabalhar o emocional e o psicológico para a superação de obstáculos e a conquista de resultados!” Prof. Massaru Ogata.

Quem é o Orador (Palestrante) Motivacional?

Não é apenas o orador que deixa o público animado nos primeiros 5 minutos e durante toda a palestra! Não é apenas o orador que deixa o público entusiasmado depois da palestra! Não é apenas o orador que tem boa dicção, conteúdo e sabe comunicar-se e interagir com o público!

Então quem é o profissional que exerce a função de Orador (palestrante ) Motivacional?

O Orador Motivacional, que actua como Orador (Palestrante) Organizacional, além do que foi citado acima, é principalmente aquele que comunica o conteúdo de forma contextualizada para atender uma necessidade mercadológica específica da organização. Contextos e necessidades estas que devem ser discutidas previamente no briefing. E quando num evento, o contexto apresentado deve estar sinérgico com os outros temas apresentados, obedecendo uma seqüência lógica e emocional que contribua com o processo de assimilação da mensagem transmitida e produza implementos de atitude positiva ou mudanças de comportamento, sempre com foco para os elementos psicológicos que conduzam ao aumento da produtividade.

Certamente para que se cumpra um trabalho excepcional o orador motivacional precisa de vivência com os diversos públicos das organizações e nos vários segmentos em que elas actuam, pois a mensagem tem que ser comunicada com os elementos do universo diário de cada público. Pois melhor do que falar de um conteúdo que foi treinado usando telas do power point, é comunicar com a propriedade de quem vivenciou e vivencia no dia a dia o conteúdo transmitido nas diversas nuances que se pode ter na jornada de uma vida profissional. Pois esta é a forma mais profunda de congruência!

O Orador Motivacional, que viveu e vive o conteúdo que transmite, que comunica em níveis psicológicos mais profundos, mesmo que com uma competência inconsciente, geralmente é aquele que tornou-se orador (palestrante) depois de adquirir vasta experiência profissional actuando em seu segmento de mercado como funcionário ou como profissional liberal, pois este orador (palestrante) organizacional irá transmitir o que está registrado em sua mente, pois irá evocar o que está cravado em sua alma! E não apenas em sua memória lógica.

Ficou interessado? Fale comigo!

Sucesso e #ARREBENTA

@fottoni

Formação Profissional


Formação Profissional

Formar é um trabalho de profissional que apesar de acarretar consigo uma certa parte de intuição e arte, também exige, para ser eficaz, competências específicas. Formar é uma profissão que assenta em actos técnicos, compreendendo uma parte que pode ser descrita, operacionalizada e aprendida.
Cada vez mais, a variedade e complexidade das situações de formação exigem do formador uma grande capacidade de adaptação, dando-lhe a possibilidade de explorar as suas especificidades através de decisões adaptadas. O formador, quer exerça essa actividade a tempo inteiro ou não, desempenha e regula o processo de aprendizagem de uma forma sistemática, visando proporcionar com esse exercício a transmissão e aquisição de competências profissionais que confiram, aos indivíduos em formação, o domínio de um conjunto de técnicas fundamentais, que lhes permitam o seu sucesso num mercado de trabalho cada vez mais competitivo, num mundo tecnológico em permanente mudança.

O formador é um facilitador da aprendizagem. O formador é um animador, isto é, um líder e gestor da dinâmica formativa. O formador deverá centrar-se nas pessoas e no grupo; criar uma dinâmica de grupo; provocar a discussão, o trabalho individual e o trabalho em equipa; criar um clima de confiança sem competitividade; utilizar a pedagogia do sucesso e não as práticas do erro; valorizar as experiências e os desempenhos; ter conhecimento e poder agir nas diversas fases do sistema de formação.

Competências do Formador

A) Ser capaz de compreender e integrar-se no contexto técnico em que exerce a sua actividade:

  • a população activa;
  • o mundo do trabalho e os sistemas de formação;
  • o domínio técnico-científico e/ou tecnológico, objecto da formação;
  • a família profissional da formação;
  • o papel e o perfil do formador;
  • os processos de aprendizagem e a relação pedagógica;
  • a concepção e a organização de cursos ou acções de formação.

B) Ser capaz de adaptar-se a diferentes contextos organizacionais e a diferentes grupos de formandos.

C) Ser capaz de planificar e preparar as sessões de formação, nomeadamente:

  • analisar o contexto específico das sessões – objectivos, programa, perfis de entrada e de saída, condições de realização da acção;
  • conceber planos das sessões;
  • definir objectivos pedagógicos;
  • analisar e estruturar os conteúdos de formação;
  • seleccionar os métodos e as técnicas pedagógicas;
  • conceber e elaborar os suportes didácticos;
  • conceber e elaborar os instrumentos de avaliação.

D) Ser capaz de conduzir/mediar o processo de formação/aprendizagem no grupo de formação, nomeadamente:

  • desenvolver os conteúdos de formação;
  • desenvolver a comunicação no grupo;
  • motivar os formandos;
  • gerir os fenómenos de relacionamento interpessoal e de dinâmica de grupo;
  • gerir os tempos e os meios materiais necessários à formação;
  • utilizar os métodos, as técnicas, os instrumentos e os auxiliares didácticos.

E) Ser capaz de gerir a progressão na aprendizagem dos formandos, nomeadamente:

  • efectuar a avaliação formativa informal;
  • efectuar a avaliação formativa formal;
  • efectuar a avaliação final ou sumativa.

F) Ser capaz de avaliar a eficiência da formação, nomeadamente:

  • avaliar o processo formativo;
  • participar na avaliação do impacto da formação nos desempenhos profissionais.

Ficou interessado? Fale comigo!

Sucesso e #ARREBETA

@fottoni

Alzheimer Portugal – Nobre causa!


Tenho o privilégio de conhecer e interagir com certos grupos e pessoas especiais. Um desses grupos é a Associação Alzheimer Portugal e algumas dessas pessoas é toda a malta que trabalha ou que são voluntários desta causa. Colaboram para a sensibilização e formação de uma sociedade que entende e apoia pessoas com demência e seus cuidadores. Gostei de uma frase de urgência no site da Associação: “Chegou o momento de agir! A doença de Alzheimer deve ser considerada uma prioridade da saúde pública e de política social.”

Realizei em 2010 uma acção de formação (em formato de palestra motivacional) com essa equipa e a resposta não poderia ser melhor! Parabéns a todos e obrigado pelo privilégio de poder colaborar de alguma forma com esta causa. Agradecimentos especiais à Dra. Maria do Rosário Zincke dos Reis e ao Dr. António Oliveira Costa, líderes desta equipa mais que especial!

@fottoni